domingo, 18 de fevereiro de 2018

EU COMIGO MESMA

Vejo tanta gente julgando os outros.
Deveríamos pensar mais em nossas ações.

O que eu faço de bem para mim?
E para o outro?
Que sentimentos carrego em meu coração?
Eu me respeito? Eu me reconheço como pessoa que erra e acerta? Eu me perdoo?
Eu respeito o outro que é diferente de mim?
Eu escuto mais do que falo?
Eu aceito o outro como ele é?
Eu sei olhar o outro sem julgá-lo?

Como sei que tenho muito que fazer por mim, deixo o outro seguir seu caminho.

Joyce Pianchão

sábado, 17 de fevereiro de 2018

FRASE DO DIA





Não sei guardar o que sinto,preciso falar.
Quando encontro ouvidos amigos me sinto mais leve.

Joyce Pianchão

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

DEZ PALAVRAS DO DIA

Chuva

Espera

Aguardando

Refúgio

Pensamento

Ação

Confusão

Reflexão

Cansaço

Resistência 

Na cor aguardo tranquilidade e organização dos sentimentos.

Joyce Pianchão

domingo, 4 de fevereiro de 2018

O FEVEREIRO DE CADA UM

O meu chegou e trouxe um momento esperado, ensaiado, planejado. Mas todo o preparo desabou e como consequência veio a tristeza.
Fiquei sem chão. Eu me decepcionei comigo mesma. 
Mas, aconteceu no primeiro dia de fevereiro, agora estou aqui no quarto dia me recompondo.
Tudo passa. O que não passa fica em mim guardado em silêncio. É só meu.
Algo acontece que me faz serena. a tristeza descansa silenciosa no coração.
Estou viva e verdadeira. Vivo o momento com intensidade. Preciso esgotá-lo, para que se aquiete e se torne somente um pequena cicatriz.

Hoje, domingo, fui à missa bem cedo e o padre disse que é da condição humana a alegria e a tristeza.

É da condição da natureza, um dia de sol,outra de chuva.

Fevereiro é mês de carnaval. Mês de alegria.
Fevereiro chove, é mês de sobressaltos.
Fevereiro é fim de férias, mês de retorno.
Fevereiro para mim é mês de resolver o passado e desenhar o presente.

Eu aguardo o melhor do meu fevereiro.

Joyce Pianchão

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

É PRECISO ESPIAR LÁ FORA

Resultado de imagem 

Domingo é dia de cinema com pipoca. Para mim com certeza.
 Em casa este dia é preguiçoso e longo demais. Então programo dar uma espiada lá fora.
E sobre espiar a vida é o que trata "Pela janela". Realmente belo na sua simplicidade. Gente como a gente. 
É preciso ficar atento aos mínimos detalhes, gestos, olhares, lugares, objetos, pois a comunicação é silenciosa, as mudanças quase imperceptíveis e ao mesmo tempo tudo é tão significativo.
 Eu sai da sala de cinema com a certeza que nada acontece por acaso e que até situações que parecem nos mostrar o fim são o começo para descobertas.
Estou neste caminho observando, procurando e encontrando em cada instante a vida feliz que podemos ter sem grandes eventos.Porque a vida é simplesmente bela. Quantas vezes escutei isto? 
 Ela é bela e verdadeira quando percebemos a sua intensidade no dia a dia. Ela é incrível mesmo em momentos tristes, quando nos sentimos fracos e paramos e deixamos que o tempo exerça a sua função. E ele nos coloca a frente de situações que nos fazem sair do comodismo e enxergar com mais vivacidade e fazer algumas trocas essenciais.
Mais um domingo que coloquei o pé para fora da casinha e vivi.
É preciso se dar um instante de olhar todos os dias pela janela e perceber que além dela há infinitas possibilidades de nos direcionarmos para novos caminhos.

Joyce Pianchão

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

PENSO QUE É ASSIM

Domingo

Enquanto eu estava dentro de um shopping chovia lá fora. Chovia muito! Eu não vi nada. Eu que gosto tanto de dialogar com a natureza, de deixar-me influenciar pelo sol, pela chuva. Pelos dias cinzas ou azuis. Não percebi nada. 
Encontrei com quem não queria encontrar. Tive notícias que não queria ter.  Eu me refugiei nas vitrines. Entrei em uma loja onde conversei com gente desconhecida, descontraída e de bem com a vida. Dividimos nossas preferências. Levamos charmosas canecas para o nosso chá ao fim do dia. Nos apresentamos e nos despedimos. Só! Bastou para tornar meu dia ganho.
Saí então do shopping e vi a chuva que já se fazia mansa. Cheguei em casa lá estava ela, a chuva, na sala do meu apartamento. Entrou sorrateira por baixo da porta e tomou conta do espaço.
 Entrou e esperou pela minha chegada. Fez-se logo percebida quando abri a porta. 
Não foi uma invasão destruidora. Não molhou os móveis e nem a fiação da televisão. Procurou caminhos vazios no chão.
Não me aborreci.
Hoje abri a sala e deixei o sol entrar para secar o chão.
É ou não é uma sintonia com a natureza? Eu penso que é .
Foi assim meu domingo, estranhamente curioso e belo, exatamente como é a vida.

Joyce Pianchão

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

NOVO COMEÇO




Janeiro

Olá, começo de novo tempo!
Estou aqui 2018, com vontade de viver a vida. Espero que seja o seu desejo também me ter por perto.
 Eu adoro início de ano!  Parece que tudo se renova. Eu me renovo.
Começo com agenda nova.  Quero registrar nela novos caminhos por mim escolhidos. E que sejam acertados.
As velhas tristezas, recordações, coisas a resolver trago comigo. Com o tempo vão se apagando, vão se resolvendo. Eu vejo a vida assim, tudo faz parte, nada é por acaso. E o mais importante, tudo é passageiro.
 Eu saúdo janeiro, celebro a vida e me visto de festa.

Joyce Pianchão